DICAS DE SAÚDE & FAQ

COMO USAR O FIO DENTAL?

Quando usado corretamente, o fio dental remove a placa bacteriana e os resíduos de alimentos das áreas onde a escova dental não tem acesso fácil. O uso diário do fio dental é altamente recomendável uma vez que a placa bacteriana pode levar ao aparecimento de cáries e doenças gengivais.

Para usar o fio dental de maneira correta faça o seguinte:

• Enrole aproximadamente 40 centímetros do fio ao redor de cada dedo médio, deixando uns dez centímetros entre os dedos.
• Segurando o fio dental entre o polegar e indicador das duas mãos, deslize-o levemente para cima e para baixo entre os dentes.
• Passe cuidadosamente o fio ao redor da base de cada dente ultrapassando a linha de junção do dente com a gengiva. Nunca force o fio contra a gengiva, pois ele pode cortar ou machucar tecido que já é mais frágil.
• Utilize uma parte nova do pedaço de fio dental para cada dente a ser limpo.
• Para remover o fio, use movimentos de trás para frente, retirando-o do meio dos dentes.

DICAS DE ESCOVAÇÃO

Uma escovação adequada deve durar, no mínimo, 120 segundos.

Escove os dentes com movimentos suaves e curtos, com especial atenção para a margem gengival, para os dentes posteriores, difíceis de alcançar e para as áreas situadas ao redor de restaurações e coroas.

Concentre-se na limpeza de cada setor da boca da seguinte maneira:

• Escove as superfícies voltadas para a bochecha dos dentes superiores e, depois, dos inferiores.
• Escove as superfícies internas dos dentes superiores e, depois, dos inferiores.
• Em seguida escove as superfícies de mastigação.
• Para ter hálito puro, escove também a língua, local onde muitas bactérias ficam alojadas.

DENTES SENSÍVEIS - O QUE CAUSA?

Provar um sorvete ou tomar um golinho de chá quente às vezes é uma experiência dolorosa para você? Escovar ou passar fio dental faz você estremecer de vez em quando? Se a resposta for positiva, você tem um problema chamado "dentes sensíveis".

Cáries dentárias e dentes fraturados podem causar dentes sensíveis. Mas se seu dentista descartou esses problemas, esmalte dental desgastado, dente fissurado ou uma raiz exposta podem ser a causa.

Uma camada de esmalte dentário, que é a substância mais dura do organismo, protege as coroas dos dentes saudáveis. Uma camada chamada de cemento dentário ou cemento radicular protege a raiz dental sob a linha da gengiva. Por baixo do esmalte e do cemento está a dentina dentária, uma parte do dente que é menos densa do que o esmalte e cemento.

A dentina contém túbulos microscópicos, que são tubos ocos ou canais. Quando a dentina perde sua cobertura de proteção, os túbulos permitem que alimentos quentes e frios, ácidos ou pegajosos, estimulem a inervação e as células dentro dos dentes. Isso causa hipersensibilidade e desconforto ocasional. Felizmente, a irritação não causa danos permanentes à polpa. A dentina pode ser exposta quando a gengiva se retrai. O resultado pode ser hipersensibilidade próxima à linha da gengiva.

A higiene bucal adequada é a chave para evitar que a gengiva se retraia e cause dor por dentes sensíveis. Se você escovar os dentes de maneira errada ou mesmo escovar demais, poderão também resultar problemas gengivais. Pergunte ao seu dentista se você tiver dúvidas sobre sua rotina diária de higiene bucal.

Dentes sensíveis podem ser tratados. Seu dentista pode sugerir que você experimente um creme dental dessensibilizante, que contenha compostos que ajudem a bloquear a transmissão da sensação da superfície dental para a inervação. O creme dental dessensibilizante geralmente requer diversas aplicações antes que a sensibilidade seja reduzida.

Seu dentista também pode recomendar técnicas feitas em consultório envolvendo a aplicação de flúor na forma de gel, que fortalece o esmalte dentário e reduz a transmissão de sensações.

Fonte: ADA – Associação Dental Americana

MAIS VISITAS AO DENTISTA SÃO RECOMENDADAS PARA MULHERES IDOSAS?

A Batalha contra a placa bacteriana, cárie dentária e doença gengival pode ser mais árdua para as mulheres após a menopausa, segundo pesquisadores da Faculdade de Odontologia Case Western Reserve e Clínica Cleveland, que recomendam que após a menopausa as mulheres consultem o dentista para limpezas até quatro vezes por ano.

Cientistas estudaram o estado odontológico de 28 mulheres pós-menopausa com ossos normais e 28 que faziam terapia tomando bifosfonatos para osteoporose por dois anos ou mais. As mulheres, com idades entre 51 e 80 anos, foram submetidas a uma tomografia de maxila e mandíbula e a um exame periodontal completo para verificação de placa dental, sangramento e perda óssea. As participantes seguiram as diretrizes da ADA para escovação, uso de fio dental e consultas ao dentista duas vezes por ano.

Pesquisadores encontraram que ambos os grupos exibiam níveis elevados de placa dental que poderiam elevar o risco de perda óssea na mandíbula e maxila ou reverter o ganho de massa óssea obtido pela medicação. Após a menopausa, mulheres com risco de osteoporose também apresentam risco de doença gengival (doença periodontal), que afeta o osso que ancora os dentes. Com o tempo, a placa bacteriana que se acumula sobre os dentes pode levar à doença periodontal.

Doença óssea e doença gengival são doenças diferentes, ressaltam os pesquisadores. Mulheres que tomam bifosfonatos também precisam remover placa para manter a maxila e a mandíbula fortes e saudáveis.

Peça ao seu dentista orientações sobre escovação, uso do fio dental, dieta saudável e consultas odontológicas. Ele será capaz de recomendar um regime de cuidados bucais apropriado para suas necessidades e estado de saúde.

Fonte: ADA – Associação Dental Americana.

O QUE SÃO IMPLANTES OSSEOINTEGRADOS?

São uma nova geração de implantes, introduzidos a partir da década de 60, mas que só agora atingem um grau de aceitabilidade pela comunidade científica internacional. São, normalmente, parafusos de titânio introduzidos cirurgicamente nas áreas desdentadas e, sobre eles, são instalados dentes artificiais (prótese dentária).

O MATERIAL DE TITÂNIO ENFERRUJA?

Não. É um material usado em Ortopedia há muitas décadas. Simplesmente o titânio não sofre corrosão quando inserido no corpo humano e não apresenta fenômenos de rejeição imunológica.

QUAIS OS RISCOS CIRÚRGICOS?

Mínimos. A cirurgia é feita normalmente com anestesia local e é muito mais simples que outros procedimentos cirúrgicos odontológicos, como a extração de um dente incluso, por exemplo. 0 pós-operatório é muito bom e a maioria dos pacientes não relata qualquer incômodo maior.

O IMPLANTE É MELHOR DO QUE A PONTE MÓVEL OU A DENTADURA?

A exemplo das próteses fixadas sobre os dentes, as fixadas sobre os implantes têm como maior vantagem não se soltarem durante a mastigação, propiciando maior conforto, segurança e eficiência.

QUAL A GARANTIA DO IMPLANTE DENTÁRIO?

O resultado final do tratamento depende fundamentalmente da capacidade de regeneração e cicatrização, do estado geral de saúde e dos procedimentos meticulosos de higiene do paciente, além de sua cooperação e cumprimento de todas as orientações do profissional.

ONDE SÃO FABRICADOS OS IMPLANTES DENTÁRIOS?

Existem empresas que fabricam implantes dentários praticamente em todas as partes do mundo. Devido a um maior tempo de pesquisa e investimento, os Estados Unidos e a Europa e principalmente a Suécia, são considerados os maiores centros de produção e introdutores de novidades e evolução em implantes dentários no mundo.

QUAL É O TAMANHO DE UM IMPLANTE DENTÁRIO?

Os implantes dentários podem variar em diâmetro e comprimento. Assim sendo, os fabricantes procuram desenvolver uma grande variedade de medidas para adequar seus implantes dentários a cada situação.

DE QUE SÃO FEITOS OS IMPLANTES DENTÁRIOS?

Todos os implantes dentários existentes hoje no mercado são confeccionados de um metal chamado titânio; este metal é usado com muita frequência na área médica, principalmente em ortopedia.

QUAL A GARANTIA DO IMPLANTE DENTÁRIO?

O resultado final do tratamento depende fundamentalmente da capacidade de regeneração e cicatrização, do estado geral de saúde e dos procedimentos meticulosos de higiene do paciente, além de sua cooperação e cumprimento de todas as orientações do profissional.

FUMO X IMPLANTES DENTÁRIOS?

Fumar pode provocar insucesso no implante dentário. Se você acabou de fazer um implante, os pesquisadores da área odontológica aconselham que não fume: fumar aumenta o risco de insucesso do implante dental. Pacientes fumantes são os que tem maior índice de insucesso.

QUAL O PERÍODO PARA REVISÃO DO IMPLANTE?

De 6 em 6 meses é bom avaliar o implante dentário, fazendo limpezas e verificações, para garantir maior durabilidade do trabalho.

QUANTO CUSTA UM IMPLANTE DENTÁRIO?

Infelizmente não conseguimos informar valores para o implante dentário, pois precisamos realizar uma avaliação clínica antes de tudo. É necessário saber se o seu caso tem indicação para implante, ou seja, verificar a quantidade de osso, gengiva, linha de sorrisso, etc.

QUANTO TEMPO DURA UM IMPLANTE DENTÁRIO?

Os implantes dentários em geral duram de 10 a 20 anos, dependendo da sua localização e da colaboração do paciente.

Por sofrerem mais estresse e serem mais utilizados, os implantes dentários dos molares não costumam durar tanto tempo quanto os implantes dentários localizados na parte frontal da boca.

EXISTE A REJEIÇÃO DO IMPLANTE DENTÁRIO?

Não. Rejeição ocorre quando um órgão é transplantado de uma pessoa para outra (Ex: coração, rins, etc.). Esta seria a resposta do organismo frente ao corpo estranho.

Nos implantes dentários não ocorrem rejeições, primeiramente porque não são transplantes e também porque não são órgãos, e sim, metais.

Apresentam características que o organismo aceita, chamadas de bio-compatíveis e bio-inertes.

IMPLANTE DENTÁRIO

Existem implantes dentários de várias marcas, tipos e preços. O mais caro não é necessariamente o mais indicado para o seu caso, mas cuidado com os implantes dentários muito baratos. A diferença entre os implantes não é se o mais caro fixa melhor ou pior, a diferença está depois na adaptação das peças que vão presas ao implante e ao dente. Existe um tipo de implante para cada necessidade e sempre existe um trabalho ou forma de pagamento que cabe no seu bolso.

A perda de dentes é um problema que afeta, infelizmente, milhões de brasileiros.

Atualmente, modernas técnicas de implante dentário permitem corrigir essas perdas.

Até algum tempo atrás, a única solução para a perda dos dentes era a utilização de próteses fixas ou móveis (dentaduras, coroas, pontes, etc.). Com o surgimento das técnicas de implante dentário os pacientes puderam contar com uma solução definitiva e mais adequada para seu problema de perda de dentes.

PRÓTESE DENTÁRIA - CONTEXTO GERAL

Existe hoje uma infinidade de tipos de prótese e assim como materiais para prótese dentária.

A prótese dentária é utilizada para substituir desde um único dente quebrado ou perdido até uma boca ou arcada inteira sem dentes. Ela tem como objetivo devolver a estética, função e fonação perdidos devido a ausência de um dente.

O resultado final de uma prótese depende do conhecimento do dentista, da sua experiência com próteses, de um planejamento adequado e minucioso, de uma execução perfeita na boca e também do trabalho de um laboratório de qualidade. E ainda uma boa sintonia entre o profissional e o laboratório.

Em nossa clínica buscamos trabalhar com laboratórios de ótima qualidade e reconhecidos, pois o barato pode sair caro mais tarde e acabar frustrando profundamente o paciente.

Acredito que a prótese dentária é uma das especialidades mais complexas, porém mais gratificantes e satisfatórias da odontologia. Pois devolver um ou mais dentes perdidos a um paciente é uma coisa fantástica, recuperando o seu sorriso, auto estima e funções mastigatórias.

De nada adiantariam os implantes ou cirurgias maiores para enxerto ósseo se não existisse a prótese. Pois todo implante futuramente precisará de uma prótese sobre ele para que possa servir. Ou dentes muito quebrados seriam facilmente indicados para extração pois não teriam mais conserto. A prótese pode facilmente resolver estes problemas.

Hoje com a grande evolução dos materiais dentários e do grande avanço tecnológico na área, os laboratórios de prótese juntamente com os dentistas conseguem produzir verdadeiras obras de arte nos dentes, proporcionando ao paciente novos dentes tão perfeitos ou as vezes mais bonitos que os naturais. Tipos de Prótese.

Basicamente existem 03 tipos de prótese:

- Próteses móveis: que podem ser parciais, as conhecidas pontes móveis ou totais as dentaduras.
- Próteses fixas: feitas sobre os dentes naturais remanescentes onde são fixadas e cimentadas. São elas as coroas, facetas, blocos, pontes fixas e próteses adesivas.

Possuem algumas nomenclaturas populares, como ponte, pivot, jaqueta, blocos, facetas, coroas sendo um termo mais adequado.

- Próteses sobre implantes: quase sempre fixas sobre os implantes dentários.

São várias também desde uma única coroa de porcelana sobre um implante, overdentures, até um protocolo que é uma prótese total fixada sobre os implantes.

Durante o tratamento ainda existem outras peças que são auxiliares na prótese, como próteses provisórias, núcleos metálicos, modelos de estudo, placas de mordida.

Materiais para prótese:

A Porcelana é o que existe de mais similar a um dente natural, pela sua estética e durabilidade.

Elas podem ser confeccionadas de várias formas, com base em metal, com a base em porcelana pura (metal free, coroa in ceram ou coroa procera). Pode também ser caracterizada em cores e formas de acordo a cada paciente.

A coroa procera por exemplo, é feita de forma computadorizada, pela imagem obtida do molde por um scanner. Este scanner manda esta imagem a um laboratório nos EUA, o laboratório confecciona a prótese de forma computadorizada e depois a envia ao dentista aqui no Brasil.

Existem as facetas de porcelana que são finas casquinhas de porcelana usadas em dentes anteriores para corrigir pequenos defeitos, e melhorar a estética dos dentes.

Existem as próteses inlay e onlay as vezes chamados de blocos que servem para repor um pedaço de dente maior perdido. Estes podem ser feitos em resinas de laboratório com partículas de carga (Targis, Vectris, Sinfony) e cerâmicas injetáveis (Empress 2, E-max).

Antigamente usava-se muito metal para a confecção de próteses, como coroas de ligas metálicas, restaurações em ouro e prata. Com a busca constante pela estética os pacientes preferem próteses “clarinhas” como dizem ou seja estética.

Porém o metal ainda é muito utilizado em infra- estutura de coroas, de baixo da porcelana, para núcleos, para pontes móveis, em prótese sobre implantes, próteses removíveis, mas quase sempre fica encoberto por materiais estéticos ficando restrito a dar o suporte ou infra-estrutura do prótese.

Para as próteses móveis usa-se o acrílico e dentes artificiais pré-fabricados, de diversas qualidades. Para este tipo de prótese podem ser feitas caracterizações e personalizações no acrílico.

E para as próteses sobre implantes usamos diversos materiais, como a porcelana e o acrílico.

Com tantos avanços na qualidade dos materiais dentários, a confecção de uma prótese hoje é uma verdadeira obra de arte. Esculpida manualmente por um técnico em prótese dentária conseguimos resultados estéticos fantásticos as vezes mais bonitos do que um dente natural.

Podemos fazer em porcelana trabalhos de um único dente até uma arcada inteira.

Outros mateirais também são usados em próteses sobre implante. Para trabalhos provisórios normalmente usamos a Resina acrílica.

SERVIÇOS
Todos os Direitos Reservados © 2014 - Certa Odontologia by Endrio.com.br